Eduardo Barbosa Deputado Nota 10!

Você está em: Home » Imprensa » Notícias

Notícias

Compartilhar: Facebook Twitter Google

13/12/2010 - Futuro governo é incoerente ao anunciar criação de 500 unidades de pronto atendimento, afirma Barbosa

O deputado Eduardo Barbosa (MG) afirmou nesta segunda-feira (13) que novas ações para a saúde não podem ser decididas sem um estudo detalhado, sob pena de ficarem apenas na promessa. O tucano se refere ao anúncio feito pela presidente eleita, Dilma Rousseff, durante a campanha eleitoral, de que seriam criadas 500 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) em todo o Brasil. Segundo reportagem do jornal “O Globo”, a ideia está ameaçada, pois será necessário contratar 40 mil médicos, número que o país não dispõe atualmente. Além disso, 30% das equipes do programa Saúde da Família não contam com profissionais formados em Medicina. Para o parlamentar, Dilma vai enfrentar muitas dificuldades no setor. “A questão da saúde é muito mais complexa. Passa por um processo de financiamento, de valorização do profissional, além de um gerenciamento que realmente deixa a desejar atualmente”, avaliou. O deputado lembrou que uma das saídas para o governo federal é a aprovação da Emenda 29. A proposta prevê a aplicação de recursos pelas três esferas do Executivo. Além disso, a União investiria o mesmo valor do ano anterior, corrigido pelo crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todas as riquezas produzidas no país. Os estados investiriam 12% das suas receitas e os municípios 15%. De acordo com nota técnica produzida pela liderança do PSDB na Câmara, se a regulamentação estivesse em vigor o governo federal teria cerca de R$ 86 bilhões adicionais até 2011 para investir em ações do setor. “O próprio governo não deseja que a Emenda 29 seja aprovada. E, por isso, percebemos uma incoerência muito grande diante dos avanços que eles querem fazer na saúde”, ressaltou. Ainda de acordo com o “O Globo”, a equipe da petista levantou uma discussão polêmica para conseguir cumprir sua promessa de construção de UPAs: a criação do serviço obrigatório, semelhante ao serviço militar, para diminuir a falta de profissionais de saúde nos rincões do país. Reportagem: Artur Filho/Foto: Eduardo Lacerda/Áudio: Elyvio Blower)

Ouça o áudio


BRASÍLIA - DF
Câmara dos Deputados Anexo IV - Gabinete 540
Cep: 70160-900
Tel: (61) 3215-1540/3540/5540
E-mail: dep.eduardobarbosa@camara.leg.br

PARÁ DE MINAS - MG
Rua São José, 280, Sala 1317 - 13º andar
Centro - Cep: 35660-014
Tel: (37) 3077-7903/7914/7934
E-mail: eduardobarbosagabinetemg@gmail.com

PSDB FEAPAES MG FENAPAES
Voltar ao Topo

© Copyright - 2013 - Deputado Federal Eduardo Barbosa - Todos os direitos reservados. Treis

Notícias

Compartilhar: Facebook Twitter Google

13/12/2010 - Futuro governo é incoerente ao anunciar criação de 500 unidades de pronto atendimento, afirma Barbosa

O deputado Eduardo Barbosa (MG) afirmou nesta segunda-feira (13) que novas ações para a saúde não podem ser decididas sem um estudo detalhado, sob pena de ficarem apenas na promessa. O tucano se refere ao anúncio feito pela presidente eleita, Dilma Rousseff, durante a campanha eleitoral, de que seriam criadas 500 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) em todo o Brasil. Segundo reportagem do jornal “O Globo”, a ideia está ameaçada, pois será necessário contratar 40 mil médicos, número que o país não dispõe atualmente. Além disso, 30% das equipes do programa Saúde da Família não contam com profissionais formados em Medicina. Para o parlamentar, Dilma vai enfrentar muitas dificuldades no setor. “A questão da saúde é muito mais complexa. Passa por um processo de financiamento, de valorização do profissional, além de um gerenciamento que realmente deixa a desejar atualmente”, avaliou. O deputado lembrou que uma das saídas para o governo federal é a aprovação da Emenda 29. A proposta prevê a aplicação de recursos pelas três esferas do Executivo. Além disso, a União investiria o mesmo valor do ano anterior, corrigido pelo crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todas as riquezas produzidas no país. Os estados investiriam 12% das suas receitas e os municípios 15%. De acordo com nota técnica produzida pela liderança do PSDB na Câmara, se a regulamentação estivesse em vigor o governo federal teria cerca de R$ 86 bilhões adicionais até 2011 para investir em ações do setor. “O próprio governo não deseja que a Emenda 29 seja aprovada. E, por isso, percebemos uma incoerência muito grande diante dos avanços que eles querem fazer na saúde”, ressaltou. Ainda de acordo com o “O Globo”, a equipe da petista levantou uma discussão polêmica para conseguir cumprir sua promessa de construção de UPAs: a criação do serviço obrigatório, semelhante ao serviço militar, para diminuir a falta de profissionais de saúde nos rincões do país. Reportagem: Artur Filho/Foto: Eduardo Lacerda/Áudio: Elyvio Blower)

Ouça o áudio


BRASÍLIA - DF
Câmara dos Deputados Anexo IV - Gabinete 540
Cep: 70160-900
Tel: (61) 3215-1540/3540/5540
E-mail: dep.eduardobarbosa@camara.leg.br

PARÁ DE MINAS - MG
Rua São José, 280, Sala 1317 - 13º andar
Centro - Cep: 35660-014
Tel: (37) 3077-7903/7914/7934
E-mail: eduardobarbosagabinetemg@gmail.com

PSDB FEAPAES MG FENAPAES
Facebook Twitter YouTube Voltar ao Topo

© Copyright - 2013 - Deputado Federal Eduardo Barbosa - Todos os direitos reservados. Treis